Aspectos históricos – madeira laminada colada

 O uso da madeira laminada colada

Pelo que se tem conhecimento a sua aplicação concreta teve início no século XIX. Nesse período destacou-se o coronel Emy, na França, que fabricou vigas compostas por lâminas (tábuas) sobrepostas, mantidas unidas por pregos e cintas metálicas. No entanto, para dar origem à Madeira Laminada-Colada (MLC) empregada na fabricação de elementos estruturais a serem utilizados na construção civil, só foi possível, com o surgimento de colas de alta resistência. O Alemão Friedrich Otto Hetzer foi quem patenteou, em 1901, esse método de construção, que utilizava o adesivo caseína.

Em 1934, nos Estados Unidos, o alemão Max Hanisch projetou o edífico do Laboratório de Produtos Florestais – projeto que incluiu arcos e vigas laminadas – implementando a técnica da madeira colada; foram efetuados diversos ensaios  não destrutivos em vigas e, posteriormente, ensaios destrutivos em arcos, com o objetivo de estudar a resistência mecânica. Tais ensaios foram determinantes na aceitação da madeira laminada para fins estruturais.

Daí para frente, a MLC evoluiu em paralelo com o progresso ocorrido com as colas, que foram se tornando cada vez mais eficientes. No entanto, foi em 1940, com o aparecimento das colas sintéticas que o sistema laminado-colado conheceu o seu grande progresso, passando a ser utilizado na construção de pontes e construções marinhas, que tinham necessidade de um alto grau de resistência e durabilidade.

Essa técnica, que de alguma maneira surgiu também da necessidade de utilização da madeira de reflorestamento, basicamente formada por Pinus encontrado em abundância em países do hemisfério norte, teve nessa madeira de fácil trabalhabilidade, a sua grande aliada.

A indústria de madeira laminada colada, na atualidade, se encontra extremamente desenvolvida em países da América do Norte e da Europa. A aplicação da técnica pode ser vista sob as mais variadas formas estruturais. O seu emprego vai desde pequenas passarelas, escadas e abrigos até grandes estruturas concebidas sob as mais variadas formas estéticas. São destinadas a cobrir vãos de até 100 metros sem apoio intermediário. Apenas para ilustrar o potencial do mercado das estruturas de MLC, verifica-se que só na França, chegou a existir mais de 40 indústrias trabalhando na fabricação de estruturas de MLC, distribuídas nas diversas regiões do país.

 

Ponte pendonale sul "Lago dei tre comuni"; Trasaghis (UD) , 2008. Holzbau Palalivorno; Livorno (LI) – 2003; Holzbau

 

Palalivorno; Livorno (LI) – 2003; Holzbau

 

Presença no Brasil

Apesar da MLC ser um produto do século XIX, no Brasil existem poucas indústrias de MLC. O custo da MLC nessas indústrias é da ordem de 4 mil reais (2000 dólares) o metro cúbico, o que inviabiliza, no momento, a sua competitividade com madeiras serradas tropicais e de reflorestamento. Somente para informação a MLC no Chile custa 750 dólares o metro cúbico e, nos Estados Unidos e Canadá na ordem de 1000 dólares o metro cúbico. A primeira indústria de Madeira laminada colada brasileira, a Esmara Estruturas de Madeira Ltda., foi fundada em 1934 em Curitiba/PR.

A Madeira Laminada Colada (MLC) é um produto engenheirado de madeira que requer precisão de fabricação em todos os seus estágios. O produto acabado pode somente ser testado em condições laboratoriais, entretanto, é necessário o controle de qualidade na produção para assegurar que as propriedades da MLC sejam adequadas com as resistências especificadas para o material de acordo com as normas vigentes. No Brasil, desde a década de 60, foram desenvolvidos uma série de estudos sobre a MLC dando surgimento a grupos de pesquisa em cidades como São Carlos, Belo Horizonte, Florianópolis e Viçosa; mais recentemente, Piracicaba e São Paulo também estão se destacando como pólos de pesquisa sobre a técnica.

O sistema de controle de qualidade é definido pelas ações realizadas por um fabricante em relação aos materiais, métodos, equipamentos, mão-de-obra e produto final, para satisfazer os requisitos necessários de uma norma de controle de qualidade. O programa de qualidade conta com vários especialistas que entendem da importância do processo de certificação para conseguir a confiança do consumidor e a qualidade final do produto.

Para predizer a performance estrutural da MLC com base nesse programa é necessária a realização de ensaios mecânicos diários, sistemas de avaliação em pontos estratégicos da produção e inspeção constante durante o processo de produção. Destaca-se que todas essas atividades devem ser auditadas e verificadas por inspetores credenciados.

A madeira será o símbolo da modernidade e futuro está no caminho dos materiais renováveis, que não exigem energia artificial para sua produção: o sol faz todo o trabalho. Competem aos arquitetos, engenheiros, madeireiros e outros que trabalham com a madeira estabelecer o elo que falta entre as tecnologias avançadas no campo da construção e as madeiras cultivadas no Brasil. Essa corrente é que vai determinar realmente a tecnologia e o uso da madeira em todo seu potencial.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: